sábado , 21 outubro 2017

Deputado Marco Feliciano culpa professora por sofrer agressões

Este artigo já foi visto54 vezes!

Equivocou-se o Deputado ao culpar uma pessoa por sofrer agressões. Uma pessoa ser culpada provocar agressões de outra, é quase como culpar a mulher estuprada pelo agressor tê-la estuprado. É triste. Talvez ele assim como Deputado Jair Bolsonaro, deva ter andado mal nas palavras. O certo é que o posicionamento da professora é totalmente contraditório, a medida que, a professora Márcia Friggi apoia a violência.

A professora acredita na violência como forma de avanços sociais e apoia a mesma.

Veja o relato do episódio:

“Eu relatei ali no Facebook (veja o post em detalhes, abaixo), não sei como eu consegui fazer aquilo, mas foi exatamente o que aconteceu. O aluno estava com o livro sobre as pernas e, como eles costumam usar muito celular e fone de ouvido, a nossa grande luta é para que nos escutem, porque eles ficam em sala de aula usando WhatsApp e escutando música. Tenho toda a turma como testemunha, inclusive usei as palavras “por favor” e “por gentileza”. Falei: “por gentileza, coloque o livro sobre a mesa”. Ele falou: “não, eu coloco o livro onde eu quiser”. Aí eu disse: “não é bem assim”. Ele respondeu: “vai se f…”. Então, disse para ele ir à secretaria, à direção. Então ele jogou o livro na minha cabeça, mas não machucou, não fez nada. Eu estava estranhamente calma, uma força divina que deixa a gente calma antes de acontecer uma barbaridade dessa. Na direção, na frente da diretora e da secretária, elas não tiveram como reagir assim como eu não tive, eu relatei com calma o que tinha acontecido na sala e que ele jogou o livro na minha cabeça. Ele disse que eu tava mentindo. Falei: “como mentindo?”. Mas não deu tempo de dizer mais nada, ele começou a me agredir com tapas e no final ele me desferiu um soco que me jogou contra a parede. O meu olho tu não tens noção de como está agora, totalmente fechado, completamente roxo. E segundo o médico que fez a sutura, amanhã vai estar pior ainda. ” (Disponível em http://dc.clicrbs.com.br/sc/estilo-de-vida/noticia/2017/08/todos-ajudaram-a-deixar-meu-olho-roxo-desabafa-professora-agredida-por-aluno-em-santa-catarina-9875971.html)

Existe um boato que o agressor foi morto, mas tudo fruto de uma internet que está cada dia mais decadente e menos confiável (Disponível em http://www.boatos.org/brasil/jovem-agrediu-professora-morto-8-tiros.html)

O rapaz  de 15 anos que agrediu Márcia Friggi, já cumpriu medida sócio-educativa no serviço comunitário por agredir um colega em 2016, era acompanhado pelo Conselho Tutelar, apresentava constantes problemas de comportamento. Sua reação truculenta à autoridade da professora foi a de uma pessoa despreparada para o convívio social. (Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/educacao/noticia/2017/08/rapaz-que-agrediu-professora-de-sc-tem-historico-de-violencia-na-escola-diz-promotora-de-justica-9877182.html)

Para o nobre Deputado Marco Feliciano é tudo reflexo do comportamento da própria professora, que a medida que incentiva violência, se expõe a mesma violência, e que “Quem planta o ódio colhe o ódio. A senhora doutrina os seus alunos e agora o feitiço vira contra o feiticeiro”, avaliou.

A verdade é que Márcia Friggi apoia a violência, menos com ela, porque nela dói.

A história não para por ai, teve até uma Carta Aberta à professora Márcia Friggi (https://elikatakimoto.com/2017/08/21/%E2%80%8Bcarta-aberta-a-professora-marcia-friggi-que-foi-brutalmente-agredida-por-um-de-seus-alunos-de-apenas-15-anos-nas-dependencias-da-escola-em-sc/)

Facebook Comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *